I giorni dell’anarchia — Lombardi nel Mondo

I giorni dell’anarchia

Il Festival de Verão, grande evento musicale che anima da oltre un decennio l’estate di Salvador Bahia, concepito un po’ come l’anticipo dei festeggiamenti carnevaleschi, non ha potuto concludersi con la consueta tranquillità. Di Marco Stella

Il Festival de Verão, grande evento musicale che anima da oltre un decennio l’estate di Salvador Bahia, concepito un po’ come l’anticipo dei festeggiamenti carnevaleschi, non ha potuto concludersi con la consueta tranquillità. Alcuni spettacoli, tra i quali quelli della cantante Ivete Sangallo e del gruppo Olodum, conoscitissimi tanto in Brasile quanto nel mondo, sono stati cancellati in seguito alle violenze derivanti dallo stato di anarchia in cui la città di Salvador è caduta dopo l’annunciato sciopero delle forze di polizia.

Nel 2001, e più precisamente nel mese di luglio, accadde una cosa simile, la polizia dello stato di Bahia scioperò e la città precipitò nel caos più totale. Per giorni, sino all’arrivo delle forze nazionali e dell’esercito, bande di criminali dominarono la città, decine i morti tra gente comune assassinata dai delinquenti. Pochi giorni dopo l’esercito riportò l’ordine a costo di un numero imprecisato di vittime. All’epoca stavo vivendo a Salvador e descrissi il caos nel libro “I Giorni dell’Anarchia”, produzione indipendente stampato nell’aprile del 2004 e presentato in Italia ed in Brasile.

La situazione si sta ripetendo in questi giorni, a distanza di più di dieci anni, ed i danni provocati all’importantissimo settore del turismo sono già calcolabili: bar, negozi e ristoranti chiusi e la disdetta del 70% delle riserve degli hotel. La Bahia saprà superare anche questo secondo sciopero e rigenerarsi, ma rimarranno per sempre le morti ed un trafiletto sui libri di storia parlando di quanto incapaci siano stati due governi baiani di colore diverso (Pfl nel 2001 e Pt nel 2012) di affrontare lo stesso problema. Si dice che errare sia umano, ma che perseverare…

Salvador tem mortes e saques com greve da PM; shows são cancelados

Com a greve da Polícia Militar, Salvador viveu um dia de forte alta do número de assassinatos e de ataques ao comércio, nesta sexta-feira. Shows foram cancelados e lojas fecharam após onda de violência.

Salvador vive madrugada de mortes e saques

Com greve, militares do Exército patrulham ruas de Salvador

Força Nacional chega a Salvador para reforçar segurança

Greve da polícia faz comércio fechar as portas em Salvador

Força Nacional e Exército são enviados para a Bahia

Justiça decreta ilegalidade da greve de PMs na Bahia

Shows do Olodum e de outras bandas de axé music foram cancelados até o fim de semana. A apresentação da cantora Ivete Sangalo, marcada para hoje, na Praia do Forte, também foi adiada.

Ontem à noite, o músico do Olodum Denilton Souza Cerqueira, 34, voltava para casa em sua moto quando foi baleado por dois assaltantes no bairro da Mata Escura, onde vivia. O músico foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Da meia-noite até as 18h de hoje, foram registrados 20 homicídios na região metropolitana, segundo a Secretaria de Segurança Pública. No mesmo dia da semana passada, houve 13 assassinatos ao longo de 24 horas.

No Pelourinho, o policiamento passou a ser feito por homens do Exército, com metralhadoras e fuzis. Nem a ostentação das armas de guerra nem a presença dos militares amenizaram o clima de insegurança no local.

A joalheria H.Stern fechou as portas ao meio-dia. Outras lojas do centro histórico também reduziram o horário de funcionamento desde quinta-feira, por temerem que os saques se alastrem para a região turística.

Em outro ponto de grande fluxo turístico, o farol da Barra, a presença de visitantes foi 70% menor ontem, segundo estimativa de comerciantes da região. No local, havia apenas um carro da PM durante a tarde.

Ao menos cinco lojas tiveram os estoques saqueados no bairro da Liberdade, de acordo com relatos de comerciantes e moradores a rádios e televisão. A Polícia Civil diz que os donos das lojas ainda não haviam registrado as ocorrências até as 12h de hoje.

REFORÇO

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, general José Carlos De Nardi, e a secretária Nacional da Segurança Pública, Regina Miki, desembarcam na manhã de sábado (4) em Salvador para acompanhar as operações das Forças Armadas no Estado.

Tropas do Exército começaram a fazer o patrulhamento nas ruas de Salvador no início da tarde desta sexta-feira. Também já estão em Salvador 150 homens da Força Nacional e outros 500 deverão chegar até o fim do dia de amanhã. O Exército também deverá encaminhar, ao todo, 2.000 homens até o próximo domingo (5).

NEGOCIAÇÃO

O governo estadual recebeu uma pauta de reivindicações de seis associações de policiais, mas não aceita negociar com a Aspra (Associação dos Policiais e Bombeiros da Bahia), entidade que lidera a greve.

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia informou que a sede da Aspra foi lacrada por determinação da Justiça, após um pedido do Ministério Público.

Com isso, disse a secretaria, fica proibida a realização de assembleias e reuniões entre os integrantes da Aspra.

 

Marco Stella, Rio de Janeiro

Portale dei Lombardi nel Mondo

Document Actions

Share |


Lascia un commento

martedì 28 Gennaio, 2020